18 de abr de 2018

Ministração infantil - O FILHO PRÓDIGO


Sabe qual é o pior cheiro que existe em toda a Terra? Não é o cheiro de chulé de menino, não é o cheiro das fezes de um boi, também não é o cheiro de um galinheiro... É o cheiro de um latão cheio de lavagem de porco.

Quando eu era criança, uma vez uma amiguinha veio na casa da minha avó para buscar o resto de comida, ela guardava tudo num latão e no final da semana levava para o sítio para dar aos porcos. Aquela comida azedava lá dentro enquanto passavam os dias. E eu, muito curiosa, coloquei o nariz bem perto quando ela abriu. Quase caí de costas... Eca! Que cheiro mais horrível! Será que alguma pessoa seria capaz de comer aquela comida?

Vou contar uma história pra vocês sobre o que aconteceu com uma família. O pai dessa família era fazendeiro, não era rico, mas trabalhava muito desde cedo para sustentar a sua família. Ele cuidava das plantações, dos bois e das ovelhas junto com alguns empregados e seus dois filhos.

O filho mais velho era um bom moço, gostava muito de ajudar o pai nas tarefas da fazenda. O filho mais novo até ajudava, mas não gostava nada daquilo. Sabe o que ele queria mesmo? Queria ir morar na cidade. Ele pensava que se fosse para a cidade, teria uma vida melhor, iria ficar rico e não precisaria trabalhar tanto, seria uma vida de mais diversão, ele ia poder fazer tudo o que quisesse. Mas para isso precisava de dinheiro, então pediu ao pai que desse a sua parte da herança.

Herança é quando um pai de família morre e divide todos os bens entre os filhos. Mas aquele pai estava vivo! E o pai disse: - Filho, não vá. Você está querendo uma coisa muito ruim. Mesmo assim, o filho não quis saber, só queria fazer a sua própria vontade.

O pai vendeu metade de tudo o que tinha e deu para seu filho mais novo. O filho partiu e foi morar na cidade. Ao chegar lá via coisas que agradavam muito aos olhos, roupas caras, lugares caros, comprava tudo o que queria. Assim ele foi gastando tudo o que o pai tinha lhe dado. Quando percebeu já não tinha mais nada, nem para comprar comida.

Na cidade onde ele estava morando, começou a haver desemprego, as pessoas tinham pouco sustento e não queriam dividir o que tinham. Ninguém queria ajudar ele.

Um dia, ele conseguiu um emprego. Não era bom, mas ele precisava tanto! Era para apascentar porcos. E quando foi colocar a comida para os porcos, ele estava com tanta fome que quis comer aquela lavagem!

Quanta tristeza aquele homem estava passando. Havia deixado a casa do pai por uma ilusão, uma mentira que atraiu os olhos dele. E ele descobriu isso da pior maneira.

Mas ele teve uma idéia: Lá na casa do meu pai, todos tem bastante alimento, até mesmo os empregados. Vou pedir para o meu pai deixar que eu seja um dos trabalhadores da fazenda. Eu fiz uma grande besteira quando deixei tudo para trás só para fazer a minha vontade. Não ouvi meu pai e não mereço nem ser chamado por ele de filho.

Então ele se levantou e começou a andar à caminho de casa. Caminhou bastante até chegar. Quando ainda estava na estrada perto de casa, seu pai o viu e correu para abraçar o filho. Muito feliz, seu pai deu um abraço bem forte, um beijo e disse: Meu filho, você voltou pra casa! Que alegria te ver!

O filho arrependido disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti. Não sou digno de ser chamado seu filho, mas deixa que eu seja um dos seus empregados.

E o pai disse para um dos seus trabalhadores: Traz uma roupa, vamos vestir meu filho, trocar essa roupa suja e rasgada por uma roupa nova. Põe nele o anel e sandálias novas nos pés. Traga um bezerro, mate-o para que possamos comer e nos alegrar! Meu filho que estava perdido, voltou! Estava morto e reviveu!

Jesus contou essa parábola para nos mostrar como é importante a gente escolher ficar perto de Deus, Nosso Pai. Vocês viram onde a desobediência pode levar uma pessoa?

Deus tem coisas muito boas pra nós, como aquele pai de família. Ele nos ensina coisas que nos fazem ter uma vida boa, Ele nos mostra o bom caminho... Mas as vezes, uma pessoa não quer dar ouvidos, prefere fazer a sua própria vontade e se afasta Dele, sai por aí atraído pelos convites ruins deste mundo, esquece tudo o que um dia aprendeu com Jesus Cristo.

Tudo o que Jesus nos ensina é para nos manter bem, em segurança. E se a gente entender isso não vai ter que sofrer para aprender.

O que podem ser esses convites ruins?

  • ·         Fazer coisas escondidas dos pais – se a gente esconde é porque sabe que é ruim.
  • ·      Aceitar coisas como cigarro, bebida, revistas de pornografia, conversas más sobre namoro (as novelas e desenhos ensinam isso, mas criança não pode namorar).


Os convites ruins são iguais ao da história, na hora que um amigo chama pra fazer parece ser muito legal, mas no fim produz muita tristeza. Todos ficam tristes, os pais, o filho, a família toda sofre.

Como eu vou saber o que é bom? Existe uma forma muito simples de saber que é sempre obedecer os seus pais, a Bíblia diz que obedecendo os pais estamos obedecendo a Deus. Quem não tem o pai ou a mãe, precisa obedecer a vovó, a tia, etc.

Pense sempre que Deus fala através do seu pai e da sua mãe, quando te derem uma ordem, não desobedeça. Deus vê isso e abençoa toda criança que é obediente.

Seja sempre uma boa criança.

2 de abr de 2018

O TABERNÁCULO & O TEMPLO, A RELAÇÃO ENTRE OS DOIS, E A DIFERENÇA DO CORPO DE CRISTO


O tabernáculo, instituído no Antigo Pacto, possui características que foram herdadas pelos templos atuais.

Como era o tabernáculo?  
Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o santuário.
Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos,
Que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança;
E sobre a arca os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente.

Hebreus 9:2-5

Uma sala chamada de Santuário, onde haviam vários elementos segundo a ordem de Jeová ( Êxodo cap. 26 ). Outra sala chamada de Santos dos Santos onde havia a arca do tesouro, para dividir os dois ambientes havia um véu. Neste ambiente que ficava depois do véu, só o sumo sacerdote poderia entrar e não sem derramamento de sangue.

Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços;
Mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo;

Hebreus 9:6,7

“Uma vez no ano” – o tabernáculo era uma construção como tenda que rodava as 12 tribos de Israel, cada mês (calendário do horóscopo) em uma tribo.

Podemos entender que os ambientes eram divididos pela santidade (sacrifícios santificavam momentaneamente o sumo sacerdote) e cargo (apenas o ungido poderia entrar).

O mesmo que acontece nos templos. São dois ambientes o salão e o altar (púlpito). Ninguém pode subir no altar para pregar, cantar, ou exercer qualquer atividade sem que sua vida esteja “consagrada no altar” e sem que seja consagrado (ungido) à isso 

E vestirás com eles a Arão, teu irmão, e também seus filhos; e os ungirás e consagrarás, e os santificarás, para que me administrem o sacerdócio.
Êxodo 28:41

No tabernáculo, o líder era chamado de sumo sacerdote. Seu papel era receber os dízimos e ofertas para fazer os sacrifícios.

Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição,

Porque não foi aos anjos que sujeitou o mundo futuro, de que falamos.

Hebreus 2:2 e 5

O sumo sacerdote recebe o animal (chamado de dízimo).
Como deveriam ser as condições físicas do animal? 
Ele precisa ser sem mancha, perfeito para o sacrifício.

Isto é o que lhes hás de fazer, para os santificar, para que me administrem o sacerdócio: Toma um novilho e dois carneiros sem mácula,
Êxodo 29:1

Como os sacrifícios eram realizados? 

Depois farás chegar seus filhos, e lhes farás vestir túnicas.
E os cingirás com o cinto, a Arão e a seus filhos, e lhes atarás as tiaras, para que tenham o sacerdócio por estatuto perpétuo, e consagrarás a Arão e a seus filhos;
E farás chegar o novilho diante da tenda da congregação, e Arão e seus filhos porão as suas mãos sobre a cabeça do novilho;
E imolarás o novilho perante o Senhor, à porta da tenda da congregação.
Depois tomarás do sangue do novilho, e o porás com o teu dedo sobre as pontas do altar, e todo o sangue restante derramarás à base do altar.
Também tomarás toda a gordura que cobre as entranhas, e o redenho de sobre o fígado, e ambos os rins, e a gordura que houver neles, e queimá-los-ás sobre o altar;
Mas a carne do novilho, e a sua pele, e o seu esterco queimarás com fogo fora do arraial; é sacrifício pelo pecado.


E Arão fará chegar o novilho da expiação, que será por ele, e fará expiação por si e pela sua casa; e degolará o novilho da sua expiação.
Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do Senhor, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu.
E porá o incenso sobre o fogo perante o Senhor, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o testemunho, para que não morra.
E tomará do sangue do novilho, e com o seu dedo espargirá sobre a face do propiciatório, para o lado oriental; e perante o propiciatório espargirá sete vezes do sangue com o seu dedo.
Depois degolará o bode, da expiação, que será pelo povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho, e o espargirá sobre o propiciatório, e perante a face do propiciatório.
Assim fará expiação pelo santuário por causa das imundícias dos filhos de Israel e das suas transgressões, e de todos os seus pecados; e assim fará para a tenda da congregação que reside com eles no meio das suas imundícias.

Levítico 16:11-16

O sangue tem serventia, o resto destina-se ao fogo. A ordem é pegar o sangue e passar sobre o sumo sacerdote, a família e sobre o propiciatório, etc.

E tomarás o peito do carneiro das consagrações, que é de Arão, e com movimento oferecerás perante o Senhor; e isto será a tua porção.
Êxodo 29:26

O sacerdote tem uma parte a receber também na oferta.

Porque, se o sangue dos touros e bodes, e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne,
Hebreus 9:13 

Dizia-se que o sangue dos animais servia para santificar quanto à pureza da carne (no grego). Um sacrifício que remetia a pessoa ao seu estado de nascimento (ou tomou um banho), que servia apenas quanto aos pecados cometidos antes do sacrifício, ou seja, os pecados cometidos à diante exigiriam um novo sacrifício no próximo ano. Sendo necessário sempre a repetição do ritual a cada ano para a purificação dos novos pecados.

Qualquer homem da casa de Israel que degolar boi, ou cordeiro, ou cabra, no arraial, ou quem os degolar fora do arraial,
E não os trouxer à porta da tenda da congregação, para oferecer oferta ao Senhor diante do tabernáculo do Senhor, a esse homem será imputado o sangue; derramou sangue; por isso será extirpado do seu povo;

Levítico 17:3,4

O Castigo para os que não cumprem era um castigo de morte.

Hoje, os sacerdotes são chamados de pastores. Neles estão concentradas toda a entrega de sacrifícios segundo a ordem do templo. Sejam os dízimos, as ofertas ou até as cestas básicas.

Trabalhe durante o mês todo e traga os 10% para o sacerdote. Este terá direito à uma parte do dízimo.
No dízimo não pode haver falhas, pois é um “roubo à deus” com castigo para quem desperdiçar todo o seu dinheiro longe do altar!

Jeová se reportava apenas com o sumo sacerdote que transmitia as ordens aos outros. Hoje nos templos, tudo o que se refere à pessoa de Deus, se concentra no pastor. Ele é quem traz a Palavra, ensina a trazer as pessoas para a igreja pra ouví-lo, ele ora pelos enfermos, ele toma as decisões, unicamente ele.

As diferenças entre o Tabernáculo e o corpo de Cristo. 

Mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo;
Dando nisto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo,

Hebreus 9:7,8

O caminho para salvação estava impedido enquanto o tabernáculo estava de pé o que tem para nós significado de remissão em Cristo. 

De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?
Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar,
Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.
E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote,
Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.
Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.
Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
(Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.
E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes,
Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque,
De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador.
E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,
Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo.
Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.
Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;
Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo.
Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre.
Hebreus 7:11-28

O sangue derramado não servia para justificar. Por isso chama de repreensível, falho, inútil.
O sacerdócio levítico é sacerdócio da lei que é levantado pelo tabernáculo ( livro Levítico, ou livro da lei). 

Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita; e foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro.

A lei foi dada pelos anjos/deuses para adoração aos anjos, tabernáculo ordenado pelos anjos para adoração aos anjos/deuses. 

Quando o livro de Hebreus fala da excelência de Cristo sobre o tabernáculo ou sacerdócio levítico (lei) está falando a quem se dirige a adoração. 

Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,
A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.
O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;
Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles.
Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, E ele me será por Filho?
E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz:E todos os anjos de Deus o adorem.
E, quanto aos anjos, diz: Faz dos seus anjos espíritos, E de seus ministros labareda de fogo.
Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino.

Hebreus 1:1-8

Esta é a introdução do livro aos Hebreus. Apresentando com um breve resumo o assunto do livro (ou carta). O que nos mostra desde o princípio a supremacia de Cristo sobre os anjos, tabernáculo e lei. Vejamos mais a este respeito:

Deus pedia sacrifícios?
Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei).
Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo.


Como passam a ser os sacrifícios para Deus? 

E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.
De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes.
Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus;
Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio;
De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.
E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,
Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.

Hebreus 9:22-28

Há um único sacrifício capaz de purificar consciência das obras mortas, este também abrange os pecados do futuro, visto que não há a necessidade de repetir a cada ano. Este sacrifício oferece remissão, o pagamento definitivo, enquanto o outro apenas encobria momentaneamente.

Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam.
Doutra maneira, teriam deixado de se oferecer, porque, purificados uma vez os ministrantes, nunca mais teriam consciência de pecado.
Nesses sacrifícios, porém, cada ano se faz comemoração dos pecados,
Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados.

Hebreus 10:1-4

A necessidade de haver a consciência do pecado (dada apenas em Cristo) é tirar de dentro da pessoa o desejo de voltar para a lama. Dessa maneira, o livro de Hebreus mostra que o sangue de touros e bodes não serviam com perfeição.

E abaixo segue a última prova que diferencia os dois.
  
E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.
Êxodo 25:8

Jeová habita no tabernáculo ( e nos templos).

Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta:
Atos 7:48 

Deus o Pai não habita em templos feitos por mãos de homens, mas habita naquele que obedece a sua Palavra - Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.


29 de mar de 2018

A LEI DA SEMEADURA

Você já ouviu dizer sobre a lei da semeadura? Conhecido também como lei do retorno ou lei do Universo, pode ser explicado como colher o que se planta. Trata-se de um conceito muito difundido aqui no meu país. Mas vamos deixar de conversa e olhar para o que a Bíblia nos diz a este respeito:

Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear,
 isso também ceifará.
Porque o que semeia na sua carne da carne ceifará corrupção; mas o que semeia no
Espírito do Espírito ceifará vida eterna.
E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos,
 se não houvermos desfalecido.
Gálatas 6: 7 a 9.

Para falar sobre esse trecho bíblico, vamos aplicar alguns exemplos práticos:

Uma mãe com o seu bebê resolve deixar tudo em segundo plano para fazer um bom trabalho na educação de seu filho, a fim de construir uma pessoa digna, com boa formação, um bom trabalho, etc. Porém, apesar dessa dedicação ao longo de anos, ao crescer, o garoto resolve entrar por caminhos errados. A mãe sofrendo, então, se pergunta em qual ponto da criação de seu filho errou.

Outro exemplo, é o caso de um estudante que deseja uma carreira que possa lhe render uma vida confortável. Este estudante se dedica buscando boas notas, um estágio numa empresa bem conceituada. Ao longo do estágio passa a focar seus esforços para a ascensão da sua carreira e assim, com o tempo, ele consegue comprar tudo o que um dia sonhou. Em determinado momento, ele percebe que está tão envolvido com os afazeres que não tem tempo para usufruir seus bens e estar com a família. Logo, ele acaba perdendo a esposa, distanciando-se dos filhos, entre outras situações.
Em ambos os casos, houve um tempo de semear segundo o objetivo de cada um. O primeiro tinha em foco formar um bom rapaz, e o segundo desejava uma vida com uma renda considerável. Para chegar à estes objetivos, ambos dedicaram-se construindo em prol dos seus sonhos. E em ambos os casos, não estamos falando de ações ilegais, ou indignas. Mas neles receberam um retorno que não estava programado.

Assim é todo aquele que constrói em busca de qualquer bem ou riqueza na Terra. Coloque o foco da sua vida em algo terreno e você receberá problemas. Quanto mais nos envolvemos nas coisas aqui da Terra, poderemos esperar maiores problemas.

Do outro lado, está alguém que busque Jesus com total sinceridade de sentimentos, e passa a estar mais preocupado em fazer a vontade de Deus do que ajuntar tesouros para a vida.

Essa pessoa precisa estar livre e desembaraçada de qualquer fio que o ligue às coisas daqui. Ou muitas vezes se sentirá em um duelo interno: “gostaria de fazer algo pra Jesus, mas não tenho tempo para isso!” Ora, essas são as consequências de nossas escolhas. Quanto mais optarmos em ter, mais tempo precisaremos para nos dedicar a estas coisas. Sempre há uma escolha a fazer.

Aquele que opta por fazer pelo Reino de Deus, deixa de lado a sua própria vontade. E sobre este eu tenho a dizer que é um homem ou mulher de muita fé. Veja que, quando buscamos algo terreno, já conhecemos os resultados, já vimos um exemplo anterior; já no caso de quem escolhe dedicar-se ao Reino de Deus, essa pessoa nunca viu o seu galardão, nem ouviu sobre as suas características. Tudo o que essa pessoa faz, o faz por fé esperando só na vida eterna.  

Poderia dar a vocês várias ilusões, mas o verdadeiro evangelho não promete bens, não traz grandes recompensas materiais. Se fosse dessa maneira, Jesus o Filho de Deus teria sido um homem muito rico nesta Terra.

O verdadeiro evangelho é aquele que faz você ter o foco no Reino celestial. Com a certeza (mesmo que não tenha visto) de que está tudo preparado e seu beneficio durará por toda a eternidade. Foi assim que Jesus disse:

Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça e nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam, nem roubam.
Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.
Mateus 6 : 20 e 21

  
Que a graça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos os irmãos sobre toda a Terra. Amém.

28 de mar de 2018

Estudo sobre Jeová o falso Deus


v  As discrepâncias.

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis, e o tendes visto.
Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta.
Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?
Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras.
Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras.
João 14:6-11

Este texto de João (palavras de Jesus) mostra que Cristo e o Pai estão em concordância, o que o Pai aprova, o Filho faz. É como dizer que o Filho é a imagem refletida do Pai. Aliás, Pai “passa” a ser o nome de Deus quando Jesus vem a Terra, ou seja, a partir do Evangelho de Mateus.

Baseado então no caráter de Cristo, podemos observar que um outro deus que não tem a mesma forma de agir, o mesmo amor, não pode ser Aquele a quem Cristo revelou.

Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar.
Mateus 11:27

A palavra usada aqui “revelar” traz a ideia que, em todo o tempo antes de Cristo, Deus estava em oculto. Assim é muito fácil verificar que todos os personagens que fizeram parte do Antigo Pacto (Velho Testamento) não puderam mostrar a respeito do verdadeiro Deus. Contudo, esse papel ficou reservado unicamente ao Filho.

Vamos, então, estudar algumas das diferenças que existem entre Jesus e esse deus chamado YHWH (no Hebraico). Nome sem pronuncia por não conter vogal. Deste foram criadas versões como Jeová e Javé.  

v  Trevas ou luz?

Segue o cenário onde YHWH deu os 10 mandamentos (parte da lei):

E aconteceu que, ao terceiro dia, ao amanhecer, houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de buzina mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial.
E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.
E todo o monte Sinai fumegava, porque o Senhor descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha, e todo o monte tremia grandemente.
E o sonido da buzina ia crescendo cada vez mais; Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta.

Êxodo 19:16-19

E o povo estava em pé de longe. Moisés, porém, se chegou à escuridão, onde Deus estava.
Êxodo 20:21

A primeira descrição mostra como YHWH cria um cenário temível. O segundo, mostra que a lei foi dada em meio à trevas. Isso não é de se estranhar, pois ele mesmo disse à Salomão que habitaria nas trevas.

Então falou Salomão: O SENHOR disse que habitaria nas trevas.
2 Crônicas 6:1

Passemos a ver sobre Jesus:

Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam.

João 1:4,5

Jesus, porém, ouvindo que João estava preso, voltou para a Galiléia;
E, deixando Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, cidade marítima, nos confins de Zebulom e Naftali;
Para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías, que diz:
A terra de Zebulom, e a terra de Naftali, Junto ao caminho do mar, além do Jordão, A Galiléia das nações;
O povo, que estava assentado em trevas, Viu uma grande luz; aos que estavam assentados na região e sombra da morte,A luz raiou.
Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus.

Mateus 4:12-17

Cristo em todo o tempo é referência de luz. O mundo que estava mergulhado em trevas necessitava de luz, por causa disso Deus o Pai enviou seu Filho. Dessa maneira, não se pode misturar YHWH com Jesus, visto que são opostos.

Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?
2 Coríntios 6:14

v  O autor da lei

Antes de continuar o assunto da lei, quero esclarecer uma possível dúvida que venha a surgir, se refere a forma como ficou escrito no Antigo Pacto sobre YHWH como Deus, Senhor, SENHOR e outros.

A Bíblia foi traduzida em várias línguas e depois vieram as revisões, neste processo foram feitas inúmeras adulterações, como, por exemplo, tirar o nome Yhwh e colocar Deus, Senhor, SENHOR... Infelizmente, até hoje as adulterações acontecem, pois a cada dia são lançadas novas versões. Dessa forma, para entender o que é verdadeiro, é necessário o estudo aprofundado das escrituras.

Vou mostrar alguns indícios que o nome foi adulterado. Este Senhor era um dos Elohim. A palavra Elohi quer dizer Deus, a palavra com o M no final corresponde ao nosso plural S, portanto, Elohim significa deuses ou poderosos. Destes poderosos podemos entender como os anjos das primeiras criações, anjos muito fortes.

Veja então, o Testamento de Jesus (chamado de novo testamento) esclarecendo quem estava no monte Sinai para dar os 10 mandamentos:

E a esta palavra fugiu Moisés, e esteve como estrangeiro na terra de Midiã, onde gerou dois filhos.
E, completados quarenta anos, apareceu-lhe o anjo do Senhor no deserto do monte Sinai, numa chama de fogo no meio de uma sarça.
Então Moisés, quando viu isto, se maravilhou da visão; e, aproximando-se para observar, foi-lhe dirigida a voz do Senhor,
Dizendo: Eu sou o Deus de teus pais, o Deus de Abraão, e o Deus de Isaque, e o Deus de Jacó. E Moisés, todo trêmulo, não ousava olhar.
E disse-lhe o Senhor: Tira as alparcas dos teus pés, porque o lugar em que estás é terra santa.
Tenho visto atentamente a aflição do meu povo que está no Egito, e ouvi os seus gemidos, e desci a livrá-los. Agora, pois, vem, e enviar-te-ei ao Egito.
A este Moisés, ao qual haviam negado, dizendo: Quem te constituiu príncipe e juiz? a este enviou Deus como príncipe e libertador, pela mão do anjo que lhe aparecera na sarça.
Foi este que os conduziu para fora, fazendo prodígios e sinais na terra do Egito, e no Mar Vermelho, e no deserto, por quarenta anos.
Este é aquele Moisés que disse aos filhos de Israel: O Senhor vosso Deus vos levantará dentre vossos irmãos um profeta como eu; a ele ouvireis.
Este é o que esteve entre a congregação no deserto, com o anjo que lhe falava no monte Sinai, e com nossos pais, o qual recebeu as palavras de vida para no-las dar.
Ao qual nossos pais não quiseram obedecer, antes o rejeitaram e em seu coração se tornaram ao Egito,
Dizendo a Arão: Faze-nos deuses que vão adiante de nós; porque a esse Moisés, que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe aconteceu.
E naqueles dias fizeram o bezerro, e ofereceram sacrifícios ao ídolo, e se alegraram nas obras das suas mãos.
Mas Deus se afastou, e os abandonou a que servissem ao exército do céu, como está escrito no livro dos profetas: Porventura me oferecestes vítimas e sacrifícios No deserto por quarenta anos, ó casa de Israel?
Antes tomastes o tabernáculo de Moloque,E a estrela do vosso deus Renfã, figuras que vós fizestes para as adorar.Transportar-vos-ei, pois, para além da Babilônia.
Estava entre nossos pais no deserto o tabernáculo do testemunho, como ordenara aquele que disse a Moisés que o fizesse segundo o modelo que tinha visto.
O qual, nossos pais, recebendo-o também, o levaram com Josué quando entraram na posse das nações que Deus lançou para fora da presença de nossos pais, até aos dias de Davi,
Que achou graça diante de Deus, e pediu que pudesse achar tabernáculo para o Deus de Jacó.
E Salomão lhe edificou casa;
Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta:

O céu é o meu trono,e a terra o estrado dos meus pés.Que casa me edificareis? diz o Senhor,Ou qual é o lugar do meu repouso?
Porventura não fez a minha mão todas estas coisas?
Homens de dura cerviz, e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim vós sois como vossos pais.
A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Até mataram os que anteriormente anunciaram a vinda do Justo, do qual vós agora fostes traidores e homicidas;
Vós, que recebestes a lei por ordenação dos anjos, e não a guardastes.
Atos 7:29-53

Os textos em negrito mostram que a lei provém dos anjos, já no texto no Antigo Pacto está falando Deus, em algumas versões Senhor, etc.

Os versículos sublinhados estão mostrando a diferença sobre Deus o Pai. O povo escolhendo a lei, escolheu servir ao exército dos céus que são os anjos (poderosos) e assim Deus se afastou, mas não abandonou pois enviou Jesus Cristo para todos. Disto falaremos posteriormente.

Mais uma prova de que o nome Deus foi usado para designar os deuses na Antiga Aliança está em Genesis:

E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas,
Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram.

Gênesis 6:1,2

Veja que aqui cita “os filhos de Deus”, agora vejamos o que diz sobre a vinda de Jesus ocorrida a pelo menos 6.000 anos depois:

Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
João 3:16

Como pode um Deus que tinha filhos enviar o seu Unigênito??? Isso não seria possível. Até o momento de Cristo morrer e ressuscitar, Ele foi o Unigênito. Quando então abriu para nós o caminho até o Pai, passamos a ser filhos de Deus por adoção. E Ele passou a ser o Primogênito.

Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei,
Para remir os que estavam debaixo da lei, a fim de recebermos a adoção de filhos.
E, porque sois filhos, Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai.
Assim que já não és mais servo, mas filho; e, se és filho, és também herdeiro de Deus por Cristo.

Gálatas 4:4-7

v  Os dois ministérios.

JHWH é o autor da lei, o ministério completo da lei pertence a ele com a ajuda e operação dos anjos que o serviam. Jesus Cristo é o autor de outro ministério que se dá através da fé, este ministério recebe o nome de GRAÇA. Veja:

Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus.

Algumas diferenças entre os dois ministérios são:

O primeiro ministério se baseia em ações do homem para estar próximo a deus.

O segundo, Deus envia o seu Filho para ligar o homem à Deus.

No primeiro, foi feito um pacto que a sua realização dependia do cumprimento entre deus e o homem, o “faça isso e não faça aquilo”. Portanto deus (YHWH) garantia uma boa vida terrena enquanto o homem obedecesse todos os 613 estatutos e mandamentos da lei. Podemos dizer que são duas partes cumpridos para receber a garantia.

No segundo, foi feito um Testamento onde o cumprimento depende apenas do Testador, Cristo, o que diz “eu já fiz”. E partiu Dele o benefício para nós que recebemos este Testamento, e o benefício é a salvação (para todo aquele que crê). Existe apenas um doador da garantia.

O primeiro se fundamenta e se limita à terra. Todas as bênçãos e maldiçoes são exercidas enquanto a pessoa vive, podemos dizer que algo em torno a uns 80 anos. Quando a pessoa morre não tem mais direto à nada.

Já o segundo se fundamenta na vida eterna. Não há promessas de bens terrenos, mas nos é destinado o Reino de Deus que é eterno e absolutamente melhor que tudo o que já vimos ou pensamos.

O primeiro se dá através do temor, pois quem não cumpre recebe punições severas e até mesmo a morte.

O segundo se dá através da misericórdia e o exercício da compaixão pela parte de Deus Pai e do Deus Filho.

Ao cumprir a lei, os homens dedicam-se em tudo o que é externo à si. Por exemplo, guardar o sábado, roupas, etc.

Já no segundo, Jesus ensina que tudo provém do coração. E que a graça revela o que há no coração de cada um, sendo assim impossível permanecer caminhando com Jesus aquele que não O deseja com sinceridade.

A respeito dos dois concertos, teria ainda muito que dizer, porém quero terminar este assunto com um texto que está em Hebreus:

Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei).
Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo.
Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez.

Hebreus 10:8-10

v  A confusão

Disse Aristóteles: A verdade é, e a mentira não é. Na Bíblia, o falso exerce as funções de quem é, sem ser. Paulo expressa sobre a existência de falsos deuses. São deuses, porém querem exercer o lugar de Deus o Pai enganando as pessoas.

Porque, ainda que haja também alguns que se chamem deuses, quer no céu quer na terra (como há muitos deuses e muitos senhores),
Todavia para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele.

1 Coríntios 8:5,6





Amigo(a) do blog, deixe seu comentário

Amigo(a) do blog, deixe seu comentário