31 de dez de 2018

O GIGANTE DO DESESPERO DE JOHN BUNYAN. Uma passagem sobre o suicídio.

Eu li um livro chamado "O Peregrino", cujo autor John Bunyan traz personagens que representam os amigos e inimigos espirituais numa história que mostra o caminho de todo o cristão para a cidade celestial. 

A parte deste livro que eu gostaria de contar para vocês fala de um homem chamado Cristão e seu amigo Esperançoso. Eles se encontravam no caminho estreito como fora indicado pelo Evangelista, mas neste momento o caminho se tornou difícil para os pés já cansados da viagem. Por toda a dificuldade, eles desejavam um caminho mais fácil que não fizesse seus pés doerem. 

A obediência à Deus sempre é um caminho árduo para nós, pois para estar de acordo com Deus Pai precisamos ir contra a nossa natureza carnal. O caminho fácil que eles desejavam é a nossa própria maneira de viver e resolver as coisas. Tais coisas tem boa aparência no começo, mas levam à um lugar ruim. 

Cristão percebeu que havia um caminho que seguia paralelamente até onde podiam ver. Porém este caminho não era feito de pedras e seria mais agradável caminhar por ele, além disso havia uma pequena escada por onde facilmente os peregrinos poderiam transpassar o muro que separava os dois caminhos. Ele acreditou que por se tratar de um Caminho Paralelo, este também chegariam na cidade celestial. 

Passava pelo Caminho Paralelo um homem para quem Cristão perguntou onde terminaria este caminho, e o homem então respondeu que terminaria na cidade celestial. O que Cristão não sabia é que o nome daquele senhor era Falsa Confiança. 

Agora, certo de que este caminho seria melhor para se andar, Cristão e Esperançoso passaram a seguir Falsa Confiança. 

Tão logo, escureceu e os peregrinos não pudiam mais ver Falsa Confiança. Eles ouviram quando o homem caiu em uma cova funda feita pelo senhor daquele terreno. Esta cova tinha a finalidade de matar homens vãos e insensatos. Quando chamaram para tentar socorrê-lo, só ouviram gemidos do homem e, devido à escuridão, não puderam fazer nada por ele. 

Homens como Falsa Confiança acreditam ter domínio da situação e vão chegar na cidade celestial conforme seu próprio saber e modo de ser, sem considerar a vontade do Dono da cidade celestial. 

Os peregrinos foram alertados por uma voz que disse para voltarem para o caminho de onde saíram. Mas estava escuro e passou a chover tanto que a água começou a inundar o lugar. Eles procuraram um lugar alto e encontraram umas pedras. De tão cansados, adormeceram ali. 

O dono daquele lugar se chama Gigante do Desespero, juntamente com sua esposa a Desconfiança moram no Castelo das Dúvidas.

Os dois peregrinos que estavam dormindo sobre as pedras foram encontrados pelo dono daquele lugar. Sendo o Gigante mais forte, obrigou-os a caminharem até o castelo e os prendeu num calabouço fétido. Ali passaram quatro dias sem comida ou água, apanharam muito e estavam debaixo de muita opressão.

Num destes dias, após apanharem e sem comer, ficaram deitados quase mortos no chão, pois não tinham forças nem para sentar. Desconfiança, então, sugeriu ao marido que desse aos peregrinos ferramentas como faca, veneno e corda para se suicidarem. O Gigante do Desespero tentou convencê-los dizendo: - Por que vocês querem continuar vivos, já que a única coisa que lhes espera daqui em diante é grande sofrimento?

Cristão chegou a considerar que o suicídio seria a melhor saída, mas Esperançoso o aconselhou a se lembrar das anteriores dificuldade que viveram no caminho e venceram, fazendo-o pensar que também venceriam a esta.

Neste momento da história eu gostaria de chamar-lhe a atenção para o fato de que mesmo falando de cristãos, o suicídio também é colocado como uma tentação. Em nossos dias vemos líderes e pastores que sucumbiram no Castelo das Dúvidas e se suicidaram.

Certa vez o Gigante do Desespero se irou contra os peregrinos e queria bater ainda mais neles, mas ele sofreu uma crise de paralisia, onde suas mãos ficaram endurecidas. Creio que Deus os livrou da morte neste momento, porque Ele sabia que mais uma surra naquele estado em que os peregrinos se encontravam seria fatal.

Naquela situação ambos consideravam que a morte era melhor que estar vivos. Mas neste momento Cristão perguntou: Vamos deixar que este Gigante nos domine?

O Gigante usou de várias maneiras para os oprimir, até mesmo mostrar corpos de outros peregrinos que vieram a ser suas vítimas.

Na última noite, ainda sob ameaças constantes do Gigante e sua esposa, os peregrinos se puseram a orar por horas. Foi aí que se lembrou de algo que aconteceu no dia em que conheceu a cruz Daquele que fora morto mas ressuscitou, ele recebeu uma chave chamada Chave da Promessa. E foi com ela que abriram todas as portas para escaparem do Castelo das Dúvidas.

O Gigante teria os seguido, mas teve uma crise que paralisou suas pernas e foi impedido de correr.

Os peregrinos voltaram para o Caminho chamado Estreito e deixaram um aviso para alertar os próximos peregrinos que passassem por alí para não serem enganados.

Tenho, à respeito deste trecho do livro, algumas considerações para compartilhar com os irmãos:


  • O desespero é um gigante mais forte que qualquer homem carnal, mas Cristo nos deu autoridade (poder Dele) através da cruz do Calvário; 
  • A prisão só dura enquanto não fazemos uso das armas espirituais deixadas pra nós;
  • Há um Caminho chamado de Estreito que termina na Cidade Celestial, este caminho também poderá ser chamado de Obediência à Deus o Pai. 
  • Há outro caminho procurado por homens que querem seguir seus próprios métodos, este parece ser agradável mas seu fim é doloroso. 
  • Uma vez que saímos do Caminho Estreito, voltar é bastante custoso.
Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz a perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Mateus 7: 13 e 14.   























Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo(a) do blog, deixe seu comentário

Amigo(a) do blog, deixe seu comentário