2 de abr de 2018

O TABERNÁCULO & O TEMPLO, A RELAÇÃO ENTRE OS DOIS, E A DIFERENÇA DO CORPO DE CRISTO


O tabernáculo, instituído no Antigo Pacto, possui características que foram herdadas pelos templos atuais.

Como era o tabernáculo?  
Porque um tabernáculo estava preparado, o primeiro, em que havia o candeeiro, e a mesa, e os pães da proposição; ao que se chama o santuário.
Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos,
Que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança;
E sobre a arca os querubins da glória, que faziam sombra no propiciatório; das quais coisas não falaremos agora particularmente.

Hebreus 9:2-5

Uma sala chamada de Santuário, onde haviam vários elementos segundo a ordem de Jeová ( Êxodo cap. 26 ). Outra sala chamada de Santos dos Santos onde havia a arca do tesouro, para dividir os dois ambientes havia um véu. Neste ambiente que ficava depois do véu, só o sumo sacerdote poderia entrar e não sem derramamento de sangue.

Ora, estando estas coisas assim preparadas, a todo o tempo entravam os sacerdotes no primeiro tabernáculo, cumprindo os serviços;
Mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo;

Hebreus 9:6,7

“Uma vez no ano” – o tabernáculo era uma construção como tenda que rodava as 12 tribos de Israel, cada mês (calendário do horóscopo) em uma tribo.

Podemos entender que os ambientes eram divididos pela santidade (sacrifícios santificavam momentaneamente o sumo sacerdote) e cargo (apenas o ungido poderia entrar).

O mesmo que acontece nos templos. São dois ambientes o salão e o altar (púlpito). Ninguém pode subir no altar para pregar, cantar, ou exercer qualquer atividade sem que sua vida esteja “consagrada no altar” e sem que seja consagrado (ungido) à isso 

E vestirás com eles a Arão, teu irmão, e também seus filhos; e os ungirás e consagrarás, e os santificarás, para que me administrem o sacerdócio.
Êxodo 28:41

No tabernáculo, o líder era chamado de sumo sacerdote. Seu papel era receber os dízimos e ofertas para fazer os sacrifícios.

Porque, se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda a transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição,

Porque não foi aos anjos que sujeitou o mundo futuro, de que falamos.

Hebreus 2:2 e 5

O sumo sacerdote recebe o animal (chamado de dízimo).
Como deveriam ser as condições físicas do animal? 
Ele precisa ser sem mancha, perfeito para o sacrifício.

Isto é o que lhes hás de fazer, para os santificar, para que me administrem o sacerdócio: Toma um novilho e dois carneiros sem mácula,
Êxodo 29:1

Como os sacrifícios eram realizados? 

Depois farás chegar seus filhos, e lhes farás vestir túnicas.
E os cingirás com o cinto, a Arão e a seus filhos, e lhes atarás as tiaras, para que tenham o sacerdócio por estatuto perpétuo, e consagrarás a Arão e a seus filhos;
E farás chegar o novilho diante da tenda da congregação, e Arão e seus filhos porão as suas mãos sobre a cabeça do novilho;
E imolarás o novilho perante o Senhor, à porta da tenda da congregação.
Depois tomarás do sangue do novilho, e o porás com o teu dedo sobre as pontas do altar, e todo o sangue restante derramarás à base do altar.
Também tomarás toda a gordura que cobre as entranhas, e o redenho de sobre o fígado, e ambos os rins, e a gordura que houver neles, e queimá-los-ás sobre o altar;
Mas a carne do novilho, e a sua pele, e o seu esterco queimarás com fogo fora do arraial; é sacrifício pelo pecado.


E Arão fará chegar o novilho da expiação, que será por ele, e fará expiação por si e pela sua casa; e degolará o novilho da sua expiação.
Tomará também o incensário cheio de brasas de fogo do altar, de diante do Senhor, e os seus punhos cheios de incenso aromático moído, e o levará para dentro do véu.
E porá o incenso sobre o fogo perante o Senhor, e a nuvem do incenso cobrirá o propiciatório, que está sobre o testemunho, para que não morra.
E tomará do sangue do novilho, e com o seu dedo espargirá sobre a face do propiciatório, para o lado oriental; e perante o propiciatório espargirá sete vezes do sangue com o seu dedo.
Depois degolará o bode, da expiação, que será pelo povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho, e o espargirá sobre o propiciatório, e perante a face do propiciatório.
Assim fará expiação pelo santuário por causa das imundícias dos filhos de Israel e das suas transgressões, e de todos os seus pecados; e assim fará para a tenda da congregação que reside com eles no meio das suas imundícias.

Levítico 16:11-16

O sangue tem serventia, o resto destina-se ao fogo. A ordem é pegar o sangue e passar sobre o sumo sacerdote, a família e sobre o propiciatório, etc.

E tomarás o peito do carneiro das consagrações, que é de Arão, e com movimento oferecerás perante o Senhor; e isto será a tua porção.
Êxodo 29:26

O sacerdote tem uma parte a receber também na oferta.

Porque, se o sangue dos touros e bodes, e a cinza de uma novilha esparzida sobre os imundos, os santifica, quanto à purificação da carne,
Hebreus 9:13 

Dizia-se que o sangue dos animais servia para santificar quanto à pureza da carne (no grego). Um sacrifício que remetia a pessoa ao seu estado de nascimento (ou tomou um banho), que servia apenas quanto aos pecados cometidos antes do sacrifício, ou seja, os pecados cometidos à diante exigiriam um novo sacrifício no próximo ano. Sendo necessário sempre a repetição do ritual a cada ano para a purificação dos novos pecados.

Qualquer homem da casa de Israel que degolar boi, ou cordeiro, ou cabra, no arraial, ou quem os degolar fora do arraial,
E não os trouxer à porta da tenda da congregação, para oferecer oferta ao Senhor diante do tabernáculo do Senhor, a esse homem será imputado o sangue; derramou sangue; por isso será extirpado do seu povo;

Levítico 17:3,4

O Castigo para os que não cumprem era um castigo de morte.

Hoje, os sacerdotes são chamados de pastores. Neles estão concentradas toda a entrega de sacrifícios segundo a ordem do templo. Sejam os dízimos, as ofertas ou até as cestas básicas.

Trabalhe durante o mês todo e traga os 10% para o sacerdote. Este terá direito à uma parte do dízimo.
No dízimo não pode haver falhas, pois é um “roubo à deus” com castigo para quem desperdiçar todo o seu dinheiro longe do altar!

Jeová se reportava apenas com o sumo sacerdote que transmitia as ordens aos outros. Hoje nos templos, tudo o que se refere à pessoa de Deus, se concentra no pastor. Ele é quem traz a Palavra, ensina a trazer as pessoas para a igreja pra ouví-lo, ele ora pelos enfermos, ele toma as decisões, unicamente ele.

As diferenças entre o Tabernáculo e o corpo de Cristo. 

Mas, no segundo, só o sumo sacerdote, uma vez no ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo e pelas culpas do povo;
Dando nisto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo,

Hebreus 9:7,8

O caminho para salvação estava impedido enquanto o tabernáculo estava de pé o que tem para nós significado de remissão em Cristo. 

De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão?
Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei.
Porque aquele de quem estas coisas se dizem pertence a outra tribo, da qual ninguém serviu ao altar,
Visto ser manifesto que nosso Senhor procedeu de Judá, e concernente a essa tribo nunca Moisés falou de sacerdócio.
E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote,
Que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.
Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque.
Porque o precedente mandamento é abrogado por causa da sua fraqueza e inutilidade
(Pois a lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus.
E visto como não é sem prestar juramento (porque certamente aqueles, sem juramento, foram feitos sacerdotes,
Mas este com juramento por aquele que lhe disse: Jurou o Senhor, e não se arrependerá; Tu és sacerdote eternamente, Segundo a ordem de Melquisedeque,
De tanto melhor aliança Jesus foi feito fiador.
E, na verdade, aqueles foram feitos sacerdotes em grande número, porque pela morte foram impedidos de permanecer,
Mas este, porque permanece eternamente, tem um sacerdócio perpétuo.
Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles.
Porque nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus;
Que não necessitasse, como os sumos sacerdotes, de oferecer cada dia sacrifícios, primeiramente por seus próprios pecados, e depois pelos do povo; porque isto fez ele, uma vez, oferecendo-se a si mesmo.
Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens fracos, mas a palavra do juramento, que veio depois da lei, constitui ao Filho, perfeito para sempre.
Hebreus 7:11-28

O sangue derramado não servia para justificar. Por isso chama de repreensível, falho, inútil.
O sacerdócio levítico é sacerdócio da lei que é levantado pelo tabernáculo ( livro Levítico, ou livro da lei). 

Logo, para que é a lei? Foi ordenada por causa das transgressões, até que viesse a posteridade a quem a promessa tinha sido feita; e foi posta pelos anjos na mão de um medianeiro.

A lei foi dada pelos anjos/deuses para adoração aos anjos, tabernáculo ordenado pelos anjos para adoração aos anjos/deuses. 

Quando o livro de Hebreus fala da excelência de Cristo sobre o tabernáculo ou sacerdócio levítico (lei) está falando a quem se dirige a adoração. 

Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,
A quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.
O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;
Feito tanto mais excelente do que os anjos, quanto herdou mais excelente nome do que eles.
Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, E ele me será por Filho?
E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz:E todos os anjos de Deus o adorem.
E, quanto aos anjos, diz: Faz dos seus anjos espíritos, E de seus ministros labareda de fogo.
Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino.

Hebreus 1:1-8

Esta é a introdução do livro aos Hebreus. Apresentando com um breve resumo o assunto do livro (ou carta). O que nos mostra desde o princípio a supremacia de Cristo sobre os anjos, tabernáculo e lei. Vejamos mais a este respeito:

Deus pedia sacrifícios?
Como acima diz: Sacrifício e oferta, e holocaustos e oblações pelo pecado não quiseste, nem te agradaram (os quais se oferecem segundo a lei).
Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo.


Como passam a ser os sacrifícios para Deus? 

E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.
De sorte que era bem necessário que as figuras das coisas que estão no céu assim se purificassem; mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes.
Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para agora comparecer por nós perante a face de Deus;
Nem também para a si mesmo se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote cada ano entra no santuário com sangue alheio;
De outra maneira, necessário lhe fora padecer muitas vezes desde a fundação do mundo. Mas agora na consumação dos séculos uma vez se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo.
E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,
Assim também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.

Hebreus 9:22-28

Há um único sacrifício capaz de purificar consciência das obras mortas, este também abrange os pecados do futuro, visto que não há a necessidade de repetir a cada ano. Este sacrifício oferece remissão, o pagamento definitivo, enquanto o outro apenas encobria momentaneamente.

Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam.
Doutra maneira, teriam deixado de se oferecer, porque, purificados uma vez os ministrantes, nunca mais teriam consciência de pecado.
Nesses sacrifícios, porém, cada ano se faz comemoração dos pecados,
Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados.

Hebreus 10:1-4

A necessidade de haver a consciência do pecado (dada apenas em Cristo) é tirar de dentro da pessoa o desejo de voltar para a lama. Dessa maneira, o livro de Hebreus mostra que o sangue de touros e bodes não serviam com perfeição.

E abaixo segue a última prova que diferencia os dois.
  
E me farão um santuário, e habitarei no meio deles.
Êxodo 25:8

Jeová habita no tabernáculo ( e nos templos).

Mas o Altíssimo não habita em templos feitos por mãos de homens, como diz o profeta:
Atos 7:48 

Deus o Pai não habita em templos feitos por mãos de homens, mas habita naquele que obedece a sua Palavra - Jesus respondeu, e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele, e faremos nele morada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amigo(a) do blog, deixe seu comentário

Amigo(a) do blog, deixe seu comentário